Teatro

"A Comida de Nzinga" em cartaz no Espaço Cultural da Barroquinha


Período:

7, 8,9,15,16,22,23 de outubro e 7,8,9,14,15,16 de novembro, sempre às 19h


Bairros:

Espaço Cultural da Barroquinha


Calendário:

Clique aqui para ver o calendário completo

Mais informações:

A relaçao entre a Bahia e a África recontada numa história que mistura guerra e paz, coragem, amor e liberdade. Assim é o espetáculo teatral “A Comida de Nzinga”, da Companhia Axé do XVIII, relato épico da guerreira e rainha angolana Nzinga, que libertou seu povo da opressao e exploração portuguesa, no seculo XVII, que está em cartaz no Espaço Cultural da Barroquinha . O texto é assinado pela dramaturga Aninha Franco, tem co-autoria de Marcos Dias, e direção de Rita Assemany.

“Estamos fazendo em Nzinga o que a escola brasileira nunca fez. Falamos da constituição do Estado em Angola e de uma personagem política importantíssima, a Nzinga, que tem tudo a ver com o Brasil e a Bahia. Estudei na escola tudo sobre a Europa. Sobre a França, a Inglaterra, alguma coisa de Portugal, mas nada da África. Tudo que sei da África aprendi em livros que comprei”, destaca Aninha Franco.

Segundo a premiada dramaturga, Angola é uma das matrizes dos hábitos e costumes do Brasil muito pouco conhecida, apesar da influência que exerce sobre a cultura baiana e brasileira. “De lá nos chegou, junto com a mão-de-obra que impulsionou a lavoura cananieira, no primeiro século da colonização, a culinária, a música e parte de nossas crenças e religião, a alegria e o nosso modo de ser. A Comida de Nzinga reconstitui um pouco dessa histórica”, observa Aninha.

O espetáculo foi encenado pela primeira vez em Salvador, em 2006, ficando em cartaz até 2009, e foi assistido por mais de 50 mil pessoas. Do elenco original permanece, apenas, a atriz Clara Paixao, no papel da rainha Nzinga. Todos os demais integrantes do elenco, com um total de 14 atores, foram selecionados através de audição pública, que teve mais de 100 inscrições.

O elenco  participa do espetáculo como convidado da Companhia Axé do XVIII, que além de Clara, é integrada pelos atores Diego Vale e Conceição do Amor Divino. Os dois últimos artistas atuaram na primeira montagem, e agora compõem a equipe de produção, respectivamente como assistente de direção e produção e coreografia.

A remontagem é patrocinada pela Secretaria Estadual de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA)  e Fundação Cultural do Estado da Bahia (FCEB). O espetáculo foi selecionado por meio de Edital Público do Setorial de Teatro 2013, com recursos do Fundo de Cultura da Secult. Como contrapartida, a entrada será gratuita no primeiro dia de apresentação, em cada equipamento cultural, e os integrantes da Companhia Axé do XVIII, Clara Paixão e Diego Valle promoverão workshops para a iniciação artística dos jovens das comunidades, onde o espetáculo será apresentado,  interessados em artes cênicas.

Os worksops englobam oficinas de teatro e dança, respectivamente, com três horas de duração, no 1º sábado de apresentação do espetáculo, sendo uma vez em cada espaço cultural. As inscrições serão feitas nos próprios teatros e/ou pelo email da Cia Axé do XVIII (ciaaxedoxviii@gmail.com). Os primeiros 20 inscritos serão informados de sua participação.

FICHA TÉCNICA

Elenco:
Rainha Nzinga – Clara Paixão
Ngola Mbandi (pai) – Raimundo Moura
Feiticeiro – Léo Santis
Kia Mbandi (irmão) – Guilherme Silva

Coro: Bruno Roma, Danielle Anatólio, Diogo Teixeira,  Fernanda Silva, Josi Acosta, Kadu Fragoso, Mirian Sampaio, Nadja Accioly, Pedro Albuquerque e Sabrina Bispo.

Texto: Aninha Franco e Marcos Dias
Direção: Rita Assemany
Assistente de Direção: Diego Valle
Coreografia: Conceição do Amor Divino
Realização: Cia Axe do XVIII
Direção de produção e execução: Clara Paixão e Diego Valle
Fotografia: Sora Maia


SERVIÇO:

O quê: Espetáculo teatral "A Comida de Nzinga"
Quando: 7, 8,9,15,16,22,23 de outubro e 7,8,9,14,15,16 de novembro, sempre às 19h
Onde: Espaço Cultural da Barroquinha
Quanto: Inteira R$10 e R$5.